quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Um "desejo" de Natal



Oh meu querido Pai Natal

Nesta data nada radical

Queria como presentinho

O livro novo do Chakall



Não pensem que é demais

Não o quero para aprender a cozinhar

Com o Chakall na minha cozinha

Até a louça tem outro brilhar


Cozinheiro como este

Acredito que nunca houve

Turbante amarelo na cabeça

O que eu gostaria de ser couve...

16 comentários:

  1. Tem gente por aqui perguntando se dá pra ser a couve do ladinho dele.

    meninas, meninas, com uns olhos desses não tem ponto em fio de bala de jeito.

    5 bjs grandes.

    ResponderEliminar
  2. Carlota,
    Nunca é tarde de mais para conjugar o verbo chakalizar. :)

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  3. Minhas Princesas.
    Há couve para todas nós, eheheheh
    Com uns olhos assim, cozinhar ia ser difícil.
    5 beijos brilhantes

    ResponderEliminar
  4. AC.
    Chakalizar rima com acreditar, amar, desejar, brincar.
    Acima de tudo brincar, como eu gosto tanto.
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Lá ia o cozinhado para o caraças.

    Beijinho boa cozinha

    ResponderEliminar
  6. Minha Flor.
    O cozinhado que se lixasse mesmo eheheh
    O que eu me ri com o teu comentário eheh.
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. Estimada Comadre Carlota,
    Eu sou pau para toda a obra, até sei cozinhar, como tal e quando o faço nunca uso trubante, e as minhas ceias de natal são sempre iguais.
    Já consegui por a funcionar o facebook, por favor me indique qual o seu contacto lá.

    O mestre de cozinha o Cambetas
    Nas comidas dá um jeito
    Com nabos, cenouras e rabanetas
    Faz uns pratos bem a perceito

    É mestre para todo o pau
    E na carninha vai mexendo
    Até já fez sopa de calhau
    Para um mendigo ir comendo

    Perito é nas caldeiradas
    E nos pasteis de bacalhau
    Que o digo as suas amadas
    Que ficam tesas como um carapau
    Abraço amigo - Tói Cambeta

    ResponderEliminar
  8. passei para deixar uma poema de natal e reforçar a ideia da Escritora admirável que és, jamais duvides das tuas capacidades.
    Aqui vai, a todos um excelente natal!
    Natal … Na província neva.
    Nos lares aconchegadas,
    Um sentimento conserva
    Os sentimentos passados .

    Coração oposto ao mundo,
    Como a família é verdade!
    Meu pensamento é profundo,
    ´stou só e sonho saudade.

    E como é branca de graça
    A paisagem que não sei,
    Vista de trás da vidraça
    Do lar que nunca terei!
    (Fernando Pessoa )
    Beijinhos amiga
    ass. Marisa

    ResponderEliminar
  9. Carlos.
    Já viu bem o meu nome?? Carlota Pires COUVE Dacosta eheheheheh.
    :)

    ResponderEliminar
  10. Caro Compadre.
    Tem jeito para a rima e para a culinária, não???
    14 beijos e abraços

    ResponderEliminar
  11. Pedro.
    É mais Chakall, LOL não conheço eheheh.
    Beijo

    ResponderEliminar
  12. Marisa.
    Gostei do teu poema, da tua lembrança.
    Que sorte ter uma cunhada como tu. Beijo
    E mais um para o cunhado jeitoso, eheh

    ResponderEliminar
  13. Malandreca menina Carlota. Bj.

    ResponderEliminar
  14. Anónimo.
    Malandreca?? Eu?? Não me conhece! eheheheh
    Beijo

    ResponderEliminar